quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Poesia...Marla de Queiroz







Meu talismã.












Para mim não existe talismã mais forte que a palavra. Uma palavra bem-dita pode mudar o rumo de qualquer coisa trágica. Por isso, durante minhas caminhadas todas as manhãs, invento mantras de boa sorte e boa aventurança e entro num profundo estado de gratidão. Eu aprendi, por exemplo, que entusiasmo em grego significa "ter um deus dentro", por isso eu cultivo o entusiasmo. Sempre que cozinho algo fico mentalizando cura saindo do calor das minhas mãos para alimentar as pessoas que amo.Inclusive, quando um amigo está muito triste, eu elaboro certos cuidados: abóboras, batatas, pimentas homeopáticas e aquecedoras de corações. A palavra cura é tão enxuta, tão curtinha, mas tem a grandiosidade de trazer sossego só em ser pronunciada. Nunca estou doente, estou sempre num processo de cura. Quando pronuncio cura, posso vê-la em tudo, até em algo aparentemente negativo. Se estou angustiada, tomo um banho mais demorado e imagino que palavras líquidas com essência de lavanda,lavam minha aura de toda penumbra enquanto jorra pelo meu corpo o desapego, a harmonia, a prosperidade, a plenitude, a força, a ousadia. E acredito tanto na proteção divina dita com convicção que não vejo nada adiante que não seja um caminho mais ensolarado.As palavras proteção divina, juntinhas, tem a força de um escudo de luz.E quando não tenho muito tempo para conversas longas com o Universo ou não consigo me concentrar, recorro às minhas frases mágicas que aprendi num livro, LUZ EMERGENTE: Mereço o melhor na minha vida, sirvo a melhor causa da minha vida, sou uma manifestação divina.Sei que, acreditando que existe amor em abundância, tudo estará sempre bem no meu mundo...e eu posso escolher outra coisa, caso sinta que o que estou obtendo já não me faz crescer. E, se a palavra amargoso pode se tornar duas para ganhar um aspecto completamente positivo, não hesito em parti-la ao meio assim: amar-gozo. E ela ganha roupa de poesia.Definitivamente, a palavra é meu une-verso.






Marla de Queiroz

Nenhum comentário: